segunda-feira, 29 de janeiro de 2007

Ele tentou...

Ele havia tentado, e não foram poucas as vezes. Do crime de omissão ninguém poderia acusá-lo, não! Sempre ofereceu o que podia oferecer. Quando tratava de receber, nem exigia tanto, não queria migalhas, mas nunca cobrara demais, não mais do que achava que podiam oferecer-lhe.

Um dia pareceu que tudo estava perdendo-se, foi quando ele mais tentou. Ofereceu o que de mais valioso tinha. Ofereceu-se.

- Toma! É tudo teu!

Fez-se um silêncio. E o silêncio durou um longo tempo, quase uma eternidade.

- Toma! É TUDO que eu tenho - com todas as letras maiúsculas e em negrito [!], era mesmo tudo o que tinha -, o que mais podes querer?

Entregar-se-ia sem dor alguma, seria com prazer. Não foi suficiente.

Ele não conseguia entender. Era difícil aceitar, ele não achava justo. Saiu ferido, e de tanto que se deu, perdeu-se.

Percebeu, então, que não deveria esperar que fosse justo de verdade. Foi encontrando-se, experimentando, descobrindo.

Vez por outra ainda sangra, ainda dói... mas passa, e ele espera que logo não doa mais. A cicatriz, ah, essa vai ficar.

---

Para ouvir:

Scissor Sisters - Return To Oz

11 comentários:

Juliana disse...

as cicatrizes ficam, mas é a vida!

xD

boa semana pra vc, beeeijo!

Luci disse...

as vezes não é o suficiente, mas tentar é o que nos cabe..

:)

Júlio Câmara disse...

É...as marcas ficam...

Comenta meu blog

http://jscamara.blogspot.com/

Júlio Câmara disse...

Pior que não dá,falta $$...

mas vou se consigo fazer isso amanha...

fernando disse...

curti a dica de som!

Fernando Miranda disse...

Sabe como é né, acontece. Mas isso nos mostra que estamos vivos, e sentindo. Como seria se fossemos seres pálidos e vazios, deprovidos do amor e suas miríades obscuras?
Agora, há um parametro para a felicidade.
Abraço! visite-me

Giovana disse...

"Entregaria-se sem dor alguma, seria com prazer. Não foi suficiente."
Não se pode medir a entrega. Não tem como quantificar. Penso não ser uma questão de ter se entregado 10 ml e o João ter se entregado 25ml, enquanto que a Liloca se entregou 12,7ml.
Pessoas não são medidas. E se fosse pra comparar pessoas com alguma coisa, certamente não seria com nenhum medidor, talvez se poderia pensar em peças de um quebra-cabeças.
Em algumas situação acontece da peça se desgastar e não se encaixar mais numa outra que antes era sua companheira. Em outras situações, pode-se passar muito tempo até que se perceba que a peça está no lugar errado. Há também as situações em que a peça é tão linda que é tentador tê-la no seu quebra-cabeça, mesmo que ela não pertença aquele retrato ou paisagem que as peças juntas formam.
Pessoas são únicas. Não se repetem. Não se medem. Alguns contextos mudam, mas as pessoas não se perdem se algo tiver sido solidamente construido.

Bia Ferreira (Flor de cerejeira) disse...

hum.. tout passe.. tudo passa.. lindo conto


agora, o que há?? vc saiu da gang? Ai, as coisas acontecem tão rápido no vibrador que nem dá tempo de acompanhar...(Bia Lerda)

Julis disse...

Ficam cicatrizez mas são coisas que a vida faz!!!

*Lusinha* disse...

Talvez eu esteja evitando de me entregar completamente, porque inconscientemente cometo a falha de esperar algo em troca e como o medo de não receber é maior, fico sem me entregar... Acho que estou cometendo um erro duplo... Deixa pra lá!
Bjitos!

rafaela disse...

:)

Ocorreu um erro neste gadget