sexta-feira, 4 de maio de 2007

Tic-Tac

[Por Hermes Fontes]

Este Amor que afinal, é a minha vida
E que será, talvez, a minha morte,
Amor que me acalora e me intimida,
Que me põe fraco quanto me põe forte;
Este Amor, que é um broquel e é uma ferida,
Vai decidir, por fim, a minha sorte.

Por ele, fica perto o Paraíso,
Por ele, inda mais perto fica o Inferno.
Meu coração soluça de indeciso...
[- Não morrerás, Amor, porque és eterno:
que seria de mim... sem teu sorriso?
Quem, depois do Verão, suporta o Inverno?...]

Põe-me a Dúvida dentro de um presídio
Este infeliz espírito, surpreso.
E essa Dúvida insólita divide-o
Em duas partes de igual peso...
Que ânsia!... E não é possível o suicídio!
Que ânsia!... E não é possível o desprezo!...

Suicidar-me, eu, um revolucionário,
Inimigo do velho romantismo,
e que, revendo o meu Itinerário,
não me arrependo de atos meus, nem cismo?!...
- Que pensamento louco e atrabiliário!
- Que atrabiliário e louco Tantalismo!

Novos amores, para ver se a esqueço,
Procuro, sempre que um de nós se arrufa...
- Planta a findar, da vida no começo –
longe da sua carinhosa estufa,
murcha à saudade, com que desfaleço,
e à ação da chuva, que nas folhas rufa...

A minha vida... não é minha! É dEla.
Ela somente, pois, pode tirar-ma:
E será, por matar-me, inda mais bela,
porque, um dos beijos seus tendo por arma,
numa morte de amor não se revela
um crime, nem indigna, nem alarma...

Este Amor que, afinal, é a minha vida
E que será, talvez a minha morte;
amor que me acalora e me intimida,
que me põe fraco quanto me põe forte,
este Amor... esta aurora... esta ferida,
vai decidir, em breve, a minha sorte.


---

Quem, depois do Verão, suporta o Inverno?

Outros Verões ainda estão por vir...

---

Para ouvir:

14 comentários:

Caroline Bigarel disse...

Ah, o amor...

sempre ele.

aNNaFLaVia disse...

Esse amor que de tão grande transforma-se em tão belas palavras!!


Muito lindo!

Beijo

Silêncio de Chumbo disse...

Sempre ele! hehe
gostei do poema... =)

abraço!

caio arroyo disse...

Esse amor, amar faz muito bem para qm escreve, otimo texto!

Fabiane Colling disse...

"Vai decidir, por fim, a minha sorte." (Y)

mas eu não concordo com caio!! acho q o amor não faz bem pra qm o escreve.. acho mesmo q qm escreve sobre ele.. não é o mais apaixonado, o mais feliz.. este vive!! e os q não o são, sei lá, escrevem?!

;]
bjãoo
=**
eu amo isso aqui (repito pra reforçar ^^)
auhauihiua

B. disse...

Isso não se faz comigo, viu? Você me fez chorar.. e sabe o porquê. :/
Ah, como eu queria que tudo isso fosse mais fácil.

Vou copiar o texto pra mim.

Bisous.

Cissa disse...

CA-RA-LHO.

Fabi disse...

Sempre me surpreendo quando passo por aqui, seja pelas palavras ou pelas indicações de músicas...
A única coisa q nos dá forças para suportar o inverno é a esperança de que um dia o verão retornará.
Assim a vida segue.

Abraços e ótima semana! Cada dia viro mais fã desse espaço.

Isadora A. disse...

báhhh, eu aguento o inverno, com vontade, com muuuuuuuuuuita vontade !

Julis disse...

Que lindo adorei

cris disse...

No filme Don Juan de Marco (com Johnny Depp) tem uma cena em que ele questiona os porques da vida e conclui dizendo que só vale a pena se for por amor...

Eu estou vivendo por amor.

Um beijo, boa semana!

Monsieur Coçard disse...

bonito texto rapaz...

Quem, depois do Verão, suporta o Inverno?

cara... eu prefiro o inverno, s trevas, a solidão... mas como não deixam eu vivo no antônimo destes itens acima citados...

abraços

MariadaLua disse...

o amor. sempre ele. presente. ausente. mas sempre ele. obrigado pelos comentários no blog. obrigado ainda mais pelas tuas palavras aqui e as músicas que inspiram

Sebastiao Moura disse...

E veio! À Vera!

Ocorreu um erro neste gadget