sexta-feira, 11 de abril de 2008

Conversa

- Aí ela disse que eu era uma grossa! Uma grossa! Acreditas?

- Hum...

Ele já havia desistido de continuar lendo, por enquanto, o livro que estava em suas mãos. Pôs o dedo indicador marcando a página onde tinha parado.

- Ah, sou sincera. Falo o que penso e pronto. Melhor isso que ser falsa. Todo mundo pensava aquilo da menina, mas ninguém falava, eu acho... Falei o que todo mundo pensava, só isso!

Ela não tinha muita certeza daquilo que acabara de falar.

- Sabe, é que existem maneiras...

- Aquele jeitinho dela. Não aguentei. Disse poucas e boas. Ela merecia mesmo!

- É que, quem sabe...

- Mandei ela pr'aquele lugarzinho!

- Não. Mesmo?

- Mandei. Apontando o dedo pro narizinho sem graça daquela...

Ele não queria escutar, não a deixou terminar a frase.

- Talvez ela tivesse razão...

- COMEQUIÉ!?

- Nada não...

Ele encolheu-se no canto. Tentaria voltar ao seu livro. Sua irmã ainda o assustava às vezes.

---

Para ler:

Máscaras - Menotti Del Picchia

---

Para ouvir:

10 comentários:

Bárbara (B.) disse...

Para alguém curiosa como eu, o texto é um tanto quanto inquietante. Risos.

Máscaras é lindo... sei que já te falei isso, mas é que é lindo demais...

Beijo meu, petit chéri.

disse...

Pqp! Sei que não vais acreditar, mas eu lendo o texto e ouvindo essa música, quando vou descendo a vejo no "Pra ouvir". Arre! Eu tenho medo de coincidências, a B. sabe.

Tem coisa mais chata do q ter a leitura interrompida por um assunto que nos interessa tanto quanto a política externa do Zimbábwe?

Bjs, moço.

KaKa Fuinha disse...

nossa... eu tenho conversas desse tipo, sabe, bem monologo mesmo...
uahuah
eh estranho ler sobre um personagem que faz as coisas que nem vc...


http://blogdatolinha.blogspot.com/

Gabi disse...

Muito legal teu diálogo! Mas coitadinho do irmão, ter a leitura interrompida por uma chata dessas! hahaha
Parabéns pelo blog! =*

André Lasak disse...

Faaaaaaala, Sebastião!

Tudo bem?

Depois de uns bons meses, voltei à ativa com o Quimera Ufana…

Apareça lá pra tomar uma cervejinha, ok?

Abração!

Lúcia disse...

Haha!, alguém assim também me assustaria... e olha que pessoas assim não são raras! E que fazer senão deixar o monólogo prosseguir? Adianta outra coisa?!

Ótima essa música da Vanessa da Mata!

Beijos

Escola Artur B. Maia disse...

primeira vez por aqui e já gostando de sua forma seca e cortante de escrever.

abração rapaz

Juliana Caribé disse...

Tem gente que não sabe ouvir mesmo...

Beijos.

Leo Lemos... disse...

...E o pôr do Sol invade o chão do apartamento...

Adoro vermelho... simpático seu blog. E fora que eu ADORO vodka... um viva a todas as fadas de nossas vidas... hehehe

Lúcia disse...

Sim, sim: sempre aprendemos... uns mais rápido que outros, mas acabamos por aprender!

E eu aqui achando que EU tinha abandonado meu blog...! Cadê os posts novos, moço?! =)

Beijos

Ocorreu um erro neste gadget